D’ALVA | #batequebate já disponível na NOS Discos e lojas digitais

Se, ao escutarmos o alinhamento final de #batequebate, percebemos que é entre muitas coisas uma viagem no universo da Pop, viagem essa que começa nos anos 80, passa pelos anos 90, e chega até aos dias de hoje, a mesma é feita ao contrário:

"Não fomos aos anos 80 e 90, trouxemo-los para hoje. Não foi algo propositado ou pensado, foi espontâneo, assim como a postura que D'ΛLVΛ tenta manter de fazer as coisas "porque sim", e a etiqueta Pop é elástica o suficiente para albergar o "mash-up" contínuo que é a sua música."

O único aspecto intencional foi o de deixar vir ao de cima elementos da música portuguesa contemporânea, assim como brasileira e africana que, no fundo, fazem parte do legado cultural e familiar do duo, e que fosse um disco tão descomprometido como seriamente divertido.

À tradição e herança na construção de canções Pop de Ben Monteiro que cresce a ouvir exclusivamente rádio dos anos 80, junta-se o "A.D.D." frenético e tão característico da geração de agora, de Alex D'Alva Teixeira que cresce a ouvir MP3, e que está em constante busca de novas expressões musicais, e desse gap geracional resulta #batequebate (sim com # e tudo).

Um disco que junta dentro de si uns hooks certeiros de um Michael Jackson, passando por uns destemidos Da Weasel no seu auge, até à intimidade densa de um James Blake, tudo em português, e tudo com uma textura sónica de retalhos, mas que se quis própria, no fundo um reflexo dos dias de hoje.

Direccionado para ser "dançado" ao vivo, e escutado sem preconceitos, serve-se melhor "fresco".

D'ΛLVΛ atuam no Festival Optimus Alive a 11 de Julho (com os Gospel Collective) e a 12 de Julho (em formato Redux).

#somosdalva