D’Alva apresentam P’ÓDIO, o segundo single retirado de MAUS ÊXITOS, o segundo longa-duração do duo, a menos de um mês da sua edição

Álbum chega às lojas a 12 de Outubro.

Depois do single Verdade sem Consequência editado em Maio, num registo que apanhou todos desprevenidos, e que ocupou meses a fio o 1º lugar em tops de rádios como a Antena 3 ou Radar, chega P’Ódio, uma canção que ironicamente começa com a frase “…não aspiro a esse pódio” .
Musicalmente bem mais próxima do universo sonoro de D’Alva, revela imediatamente alguma maturação musical, quer na produção quer na interpretação, e numa escrita bem ao jeito de #LLS: directa, aparentemente descontraída e regada a q.b. de ironia.

"P'Ódio aborda a ansiedade que advém de nos expormos à crítica e escrutínio, e de como deve ser a nossa relação para com quem apenas "fala muito e não faz nada". É um "vive e deixa viver", mas algo que se estende para além da música e para o quotidiano e as presentes dinâmicas e interacções sociais." explica Ben Monteiro.

Se para muita gente D’Alva é sinónimo de descontracção e leveza, o videoclipe que acompanha este single revela a intensidade com que Alex D’Alva Teixeira, Ben Monteiro e restantes membros que os acompanham se entregam aos espectáculos e ao público. A realização/produção é mais uma vez totalmente D.I.Y.  pela mão de Ben Monteiro, num registo acima de tudo documental, e que mostra uma verdade que em certa medida só os D’Alva verdadeiramente conheciam de si mesmos: bem para além do hype, dos discos, das canções, dos memes, dos likes, das visualizações, os D’Alva são compreendidos ao vivo. Se em estúdio pela mão da produção de Ben Monteiro a elasticidade com que saltam de género é inigualável, o mesmo acontece ao vivo pela mão do front-man puro que é Alex D'Alva Teixeira. É impossível falsear a energia frenética, entrega e maneira como grupo e público se tornam um, seja num coreto, num clube, num auditório ou num palco de festivais de grandes dimensões - o resultado é invariavelmente o mesmo, ninguém fica indiferente como aliás retrata o vídeo.

Os D’Alva querem-se (re)definir pelo que são, com "mais acção e menos conversa", e P’Ódio é mais um capitulo que nos introduz aos seus MAUS ÊXITOS.

MAUS ÊXITOS é o nome do segundo esforço de estúdio do duo que fez mexer a Pop independente nacional. O título encerra em si uma dualidade peculiar reflectida nas canções, e quem sabe reveladora do que o duo experimentou nestes últimos quatro anos. No bom, no mau, e em tudo o que há pelo meio, Alex D’Alva Teixeira e Ben Monteiro encontraram as espectativas e o medo de falhar. Largaram-nas, abraçaram-no, e encontraram-se num disco (ainda) sónicamente Pop, pessoal e honesto, onde procuraram canções que falem por si, mais que a produção ou outros quaisquer “fireworks”.

Para a capa de Maus Êxitos a Direcção de Arte ficou a cargo de Bráulio Amado, o criativo Português sediado em Nova Iorque que tem dado que falar pelo trabalho desenvolvido para artistas como Frank Ocean, Beck ou Roisin Murphy entre outros. Foi-lhe dada total liberdade criativa e o resultado é uma composição fotográfica representativa da sua interpretação de cada uma das canções que integram este longa duração. A fotografia ficou a cargo de Cristiana Morais que, à distância, concretizou a visão de Bráulio.